Câmara de Alenquer vende antiga fábrica de lanifícios por 1,1 milhões

O município de Alenquer vendeu em hasta pública a antiga Fábrica de Lanifícios Chemina por valor de 1,1 milhões euros, à imobiliária Sunshine Life, dia 11 de fevereiro.

Vendida à única empresa interessada por 1,1 milhões de euros, a Sunshine Life – Investimento Imobiliário, Unipessoal Lda. espera agora transformar este imóvel industrial num edifício de unidade hoteleira e spa. No entanto a escritura final da venda do edifício só será vigorada depois da apresentação e aprovação do projeto, avançou a Câmara em comunicado.

Segundo a mesma fonte, a hasta pública, lançada em novembro do ano passado, contou apenas com a proposta vencedora, que terá agora de apresentar o projeto de execução das obras, sem o qual não será celebrada a escritura final de venda.

“Nos termos da hasta pública, o vencedor fica obrigado a construir ali uma unidade hoteleira com SPA e aparthotel e a manter a traça arquitetónica da fachada da antiga fábrica. O projeto terá, também, que contemplar um auditório que deverá ser cedido durante 20 horas mensais ao município alenquerense”, sublinha o Município.

Estão “finalmente reunidas as condições para devolver este edifício histórico à vila de Alenquer”

O presidente da Câmara de Alenquer, Pedro Folgado, manifestou-se satisfeito com a conclusão da hasta pública, e considera que estão “finalmente reunidas as condições para devolver este edifício histórico à vila de Alenquer”.


“A fábrica da Chemina tem um valor inestimável pela sua história, mas também pela forma como fez parte da vida de tantas gerações de alenquerenses e por isso é com muita satisfação que após tantos anos de impasses, concluímos com sucesso a hasta pública que vai permitir a recuperação integral do edifício”, afirmou o presidente.

“Depois consideramos que a construção de uma unidade hoteleira vem ao encontro de uma necessidade da vila e do concelho, até porque apesar de nos últimos anos terem vindo a surgir cada vez mais unidades de alojamento local, são ainda claramente insuficientes, quer para sustentar o turismo, que vimos encarando como um investimento estratégico e estrutural, quer também para aumentar a dinâmica económica no concelho de Alenquer, que passará a ter uma maior capacidade de receber e reter quem nos visita”, acrescentou.

O Antigo edifício foi inaugurado em 1889, junto ao rio Alenquer, entrando em decadência mais tarde nos anos 70, encerrando definitivamente na década de 90, deixando à época 30 funcionários no desemprego.

No ano de 1994, A Câmara Municipal de Alenquer decidiu adquirir o imóvel industrial, tendo esperança de salvaguardar o edifício e conservar o seu património instalando aí um museu.

No ano de 1999 o edifício sofrera um incêndio, enfraquecendo mais a sua estrutura e fragilizando a sua extensa fachada.